domingo, 4 de novembro de 2012

Névoas do Silêncio




Névoas do Silêncio



Há uma névoa que se alastra,
como se fosse uma enorme serpente.
Me envolve e me sufoca,
me impede de seguir em frente.
Tateio no escuro,
a procura de mim mesma.
Escuto os sons do silêncio
a penetrar-me a alma.
Passos que se afastam
em busca do nada.
Noite enluarada,
ondas agitadas.
Palavras sussurradas
não são mais ouvidas.
O grito se perdeu,
e ninguém mais entendeu.
Serei eu quem mais amei
ou fostes tu quem me esqueceu?

Débora Benvenuti

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Por toda a Eternidade






Por toda a Eternidade




Quem sabe o vento ou mesmo o tempo

sejam capazes de aplacar essa ansiedade,

que me consome toda a vez que penso

nesse amor que ainda não tenho,

mas que busco a cada instante...

Quando adormeço, imagino quem será

que irá povoar os meus sonhos?

Será alguém que já conheço ou talvez

alguém que desconheço...? 

Será você,eu me pergunto e fico a espera

de que esse seja o amor que me libertará

desse sonho e seguiremos juntos,

por toda a  eternidade,

com todo o amor que no meu coração impera

e que desperta como o mais terno 

de todos os  amores,

que colore com todas as cores,

e que é o mais belo entre todos os amores,

possui o aroma de todas as flores,

e é perfeito como todo o amor-perfeito...

e será o meu Amor...por toda a Eternidade...


Débora Benvenuti

domingo, 28 de outubro de 2012

Muralha Invisível





Muralha Invisível 




Meus passos apressados

se perdem na bruma do passado.

Tudo o que eu havia pensado

hoje não tem mais nenhum significado.

Percorro as ruelas estreitas

do tempo e me vejo perdida

num emaranhado de laços,

treliças de momentos

adornados de tormentos.

Tento desvencilhar-me,

desfazer os laços,

caminhar sobre os meus próprios passos.


Mas vejo que por mais que o faça,

continuo presa numa muralha invisível,

que me prende os braços.

Te vejo do outro lado

a acenar-me,

com os olhos marejados

de lágrimas.

São lágrimas que escorrem

na tua face,

misto de desejo e renúncia

de um amor que nunca poderá

se tornar realidade.


Débora Benvenuti

Ecos que eu não Ouvi




Ecos que eu não Ouvi




Eu queria viver de esperança,

mas só me resta a lembrança,

de um passado que eu não vivi.

Eu queria ser quem não sou,

E sou quem eu não queria ser.

Em algum lugar alguém me espera

e eu não sei pra onde ir...

De tudo o que eu vivi,

apenas o que sobrou são Ecos..
.
...Ecos que eu não Ouvi...

Escute... são apenas Ecos...

Ecos que se espalham no silêncio,

como uma folha ao vento,

flutuando no imenso vazio

que se formou quando você partiu...

A tua lembrança ainda insiste

e persiste, como um poema triste,

que a voz do vento carrega,

como se fosse um lamento,

numa noite quente,

que não tem mais fim.



Débora Benvenuti



quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Tempo




Tempo


Essa é a questão: Tempo.
As pessoas vivem em função do Tempo.
Muitos dizem: Eu não tenho Tempo.
- Mas o que é o Tempo?
O Tempo não existe.
Quem inventou o Tempo foi alguém que não sabia
o que fazer com o Tempo.
- Mas para que inventar algo que não existe?
Pura perda de Tempo!
E você vai se organizar no Tempo para que?
Para encontrar algo para fazer,
quando você não tiver Tempo para fazer nada?
Tudo é Tempo ou é Tempo perdido?
E lá vem o velho refrão de novo:
Há Tempo para tudo - tudo tem seu Tempo...
- Mas onde está o Tempo?
Será que o Tempo existe,
ou você existe em função do Tempo?
Lá vem o Tempo de novo:
- Eu não tenho Tempo!
Se você não tem tempo,
para que vai se preocupar
com algo que você não tem?
Vais perder mais Tempo ainda?
O Tempo já passou na janela
e só você não viu.
- E por que você não viu o Tempo passar?
- Porque o Tempo não existe e se não existe,
por que perdes Tempo com o Tempo?


Débora Benvenuti

Quando a saudade vier te visitar




Quando a Saudade vier te visitar


Quando a saudade vier te visitar
e não mais puderes me encontrar,
quero  que lembres cada momento
que  juntos  passamos,
mas não se deixes emocionar,
nem  fiques tristes,
se eu não estiver mais a te esperar.
Se eu tiver que partir
sem  me despedir,
não é por que eu quis,
mas sim, por não mais sentir
que exista algo a nos unir.
Não quero levar tristeza,
nem  quero deixar saudade,
quero  ter a certeza
de  que saberás me entender.
Não quero te ver sofrer,
nem  posso me envolver.
Queria  poder tudo resolver,
mas  não tenho esse poder.
Se isso tudo foi um engano,
perdoe-me, mas não sou leviana,
sou apenas um coração que ama
em busca  desse amor que me aprisiona.


Débora Benvenuti

sábado, 13 de outubro de 2012

Sem Você



Sem Você




Sem você
eu não existo,
sou sempre triste.
Os dias são cinzentos
e as horas um tormento.
Sem você,
eu não tenho alegria.
Só a tua companhia
me tira dessa agonia.
Sem você,
o céu não tem estrelas,
a lua não ilumina
a noite que se aproxima.
Sem você,
a brisa não sopra
e o calor me sufoca.
Sem você,
não existe o alvorecer,
nem mesmo o dia
eu vejo amanhecer.
Sem você,
não encontro o caminho,
me sinto sozinha,
sem o teu carinho.
Sem você,
eu preciso aprender
a ficar só e esquecer.
Sem você,
eu não sei viver...


Débora Benvenuti

Se você tentar me esquecer



Se você tentar me esquecer




Se você tentar me esquecer,
não vais conseguir.
Durante muito tempo em sua vida
eu vou existir.
E de nada adianta insistir,
a minha lembrança
nunca vai deixar você dormir.
Serei sua companheira
e virei a noite inteira
os teus sonhos invadir,
e por mais que queiras,
de mim nunca irás fugir.
Lembrarás cada detalhe
do meu corpo
e em tuas mãos irás sentir,
que ainda existo.
E assim irás refletir,
sobre o que fomos
e o que eu quis
e você não soube decidir,
nem dar valor às coisas
que eu senti.
Sentirás a saudade no teu peito
te ferir
e tentarás voltar no tempo,
mas somente o lamento triste
do vento  se fará ouvir.
O meu corpo no teu corpo,
nunca mais irás sentir,
porque eu deixei de existir,
quando você decidiu partir...


Débora Benvenuti

domingo, 23 de setembro de 2012

Solidão a Dois





Solidão a Dois



Sentir solidão
não é estar sozinho,
é estar ao lado
de alguém que não nos
dá carinho.
É viver um sonho
e ter por companheiro
um ser ausente,
que só existe no nosso caminho,
não porque queira,
mas por imposição
de um destino,
que nos faz prisioneiros
e nos acusa de omissos,
quando o que queremos
é sair da rotina,
viver uma vida dígna
sem termos medo
de sermos reféns
da nossa própria incompetência.
Solidão a dois
é negligência,
é viver ausente
mesmo estando presente...



Débora Benvenuti

Por um momento





Por um momento



Surges em meu pensamento
e por um momento
fico a imaginar
se estou te vendo
ou se é um sonho,
que estou a sonhar.
Pareces tão real,
que chego a te tocar.
Teu rosto é tão sereno
e a tua boca tão sensual,
parece me dizer,
quero te beijar.
E essa sensação
que chega a me envolver,
me faz divagar,
entre sonhos irreais
e o desejo de te amar.
Quero te sentir,
quero te seduzir
e te fazer feliz.
Não só com palavras,
mas com o meu corpo todo,
que estremece e se aquece
ao imaginar as tuas mãos
a deslizar pelo meu corpo,
ansioso dos teus carinhos,
que despertam os meus desejos
e me fazem vibrar,
como jamais cheguei a imaginar...
Por um momento,
somos dois amantes insaciáveis,
em busca dessa paixão
que nos enlouquece e
transforma o tudo em nada.
Um momento,
um sentimento.
Tua ausência desnuda
o meu pensamento!

Débora Benvenuti

domingo, 15 de julho de 2012

Se um dia me Quiseres




Se um dia me Quiseres


Se um dia me quiseres,
me encontrarás à tua espera,
sentirás que o que mais quero
é sentir o calor do teu abraço,
envolver-me em teus braços,
recostar-me em teu peito,
como sempre faço
nas noites em que desperto
imaginando que estás por perto...
Se um dia me quiseres...
estarei à tua espera
e se for amor o que mais queres
serei a tua amada e a tua amante
e encontrarás a todo instante
uma mulher apaixonada,
que só quer na vida ser amada
e fazer desse amor
o sonho mais bonito,
a noite mais perfeita,
o instante mais sublime,
a entrega sem limites,
o céu mais estrelado,
e o Amor mais desejado!

Débora Benvenuti

sexta-feira, 13 de julho de 2012



Para sempre ... Tua!


Despe a minha alma
dos desejos obscuros.
Toca o meu corpo
e tira dele os mais belos sons,
como se tocasses as delicadas
cordas de uma harpa.
Faz vibrar cada um
dos meus sentidos,
beijando os meus seios
intumescidos.
Desliza a tua boca no meu corpo
e deixa-me sentir o desejo
 aumentar a cada beijo.
Quero sentir o teu calor
aquecendo a minha pele,
fazendo-me flutuar em delírios
e prazeres infinitos.
Quero o teu corpo no meu,
suado, cansado, ofegante.
Quero ser a tua amante
e satisfazer os teus desejos,
por mais loucos e
insanos que pareçam.
Quero despir a minha alma
e sentir-me nua,
aconchegar-me em teus braços
e te dizer que serei,
para sempre...Tua!!!

Débora Benvenuti